19 de abril de 2016

O rito do Impeachment no Senado

Confira abaixo o rito do Impeachment no Senado Federal:


Senador Lasier Martins diz que votará pelo Impeachment, contrariando orientação nacional do PDT




O Senador Lasier Martins, eleito pelo PDT-RS com 2.145.479 de votos, discursou hoje (19) no Senado Federal e travou uma verdadeira guerra contra o Presidente Nacional do PDT,  Carlos Roberto Lupi.

Ocorre que o Senador Lasier, foi notificado pelo Presidente Nacional do PDT, sendo comunicado que quem não votar pelo PDT contra o Impeachment sofrerá processo de expulsão do partido, sendo que seis (6) deputados federais, que votaram favoráveis ao Impeachment, estão sofrendo processo de expulsão.

Segundo o Senador Lasier trata-se de um apequenamento do partido, contrariando a doutrina pedetista. Afirmou que votará pelo Impeachment, seguindo seus valores, princípios e por sua consciência, posição esta coerente com sua conduta e conhecida por seus colegas, membros do senado.

O Senador Lasier relembra em seu discurso a doutrina do PDT, citando Alberto Pasqualini e Leonel Brizola e os valores históricos de seu partido. Cita também as contrariedades realizadas pelo então Presidente Nacional do PDT, Carlos Lupi, que vão na contramão do que ele mesmo pregava em 2005.

E disse: "Se Carlos Lupi ama a Dilma, case-se com ela, mas deixe o PDT em paz"

Por fim Lasier pede a renúncia do Presidente Nacional do PDT: "  Em vez de presidir expulsões de parlamentares que estão ao lado da maioria brasileira saia o senhor, Carlos Lupi, da Presidência do PDT. Renuncie! O Senhor está desonrando o PDT de Grande História do Rio Grande do Sul. Lupi é o exterminador do PDT".

A Alternância do Poder na Democracia




"A alternância do poder é fundamental para a saúde da democracia".
                                                               
Antônio Jesus Souza Júnior - Cientista Político

12 de abril de 2016

A Batalha do Impeachment


A Comissão da Câmara aprovou processo de Impeachment de Dilma Rousseff.

Por 38 votos a 27, a comissão especial do impeachment da Câmara dos Deputados aprovou na noite desta segunda-feira (11) o parecer favorável à abertura do processo de afastamento da presidente da república.

Entretanto, é importante salientar que o papel da Câmara dos Deputados não é julgar, tampouco condenar ou absolver, mas sim de apontar se o processo deve ou não ter prosseguimento para o Senado, com base nos elementos do processo.

Quanto ao Senado, este sim, caberá o papel de condenar ou absolver segundo uma análise profunda sobre o tema. 

Os Senadores deverão ter um olhar político-jurídico, apreciando cuidadosamente a matéria e as razões jurídicas apontadas, mas também levando em considerações fatos políticos relevantes dos últimos meses e dias,  como a delação do Senador Delcídio do Amaral e o grampo telefônico entre Lula e Dilma.


Cotações do Dolar e do Euro

Pesquisar este Site