18 de março de 2011

OBAMA ADVERTE A LÍBIA, MAS OS ATAQUES CONTINUAM


Doug Mills / The New York Times

WASHINGTON - O presidente Obama ordenou na sexta-feira o coronel Muamar el Kadafi para realizar um cessar-fogo imediato, retirar suas forças de detidos cidades rebeldes e parar todos os ataques contra civis líbios ou enfrentar uma ação militar dos Estados Unidos e seus aliados na Europa e o mundo árabe.

"Deixe-me ser claro, esses termos não são negociáveis", disse Obama no Salão Leste da Casa Branca. Essas condições, nomeadamente o levantamento do cerco de territórios mantidas pela oposição, daria aos rebeldes um alívio, se não uma vantagem militar.

Líbia tinha prometido um cessar-fogo horas antes. Mas relatos de detidos território rebelde indicou que os ataques das milícias Kadhafi continuou inabalável no leste e oeste.

As forças do governo continuavam a avançar em Benghazi, a capital da rebelde no leste, e as pessoas que fogem Ajdabiya próxima disse que as tropas estavam bombardeando e realizar assaltos na parte da tarde. A cidade ocidental de Misurata estava sob cerco, a sua eletricidade e cortar a água pelo governo, e os médicos relataram que pelo menos 25 pessoas foram mortas, incluindo 16 civis desarmados. Em Trípoli, a repressão dos protestos pacíficos continuaram, e artilharia foi ouvido no final da noite.

O presidente Obama disse que estava enviando a secretária de Estado Hillary Rodham Clinton para uma reunião em Paris no sábado para consultar com a França , Grã-Bretanha e os membros da Liga Árabe sobre as ações futuras. Um ataque militar aliada à Líbia não parecem iminentes, na noite de sexta-feira.

Fonte: The New York Times

Nenhum comentário:

Cotações do Dolar e do Euro

Pesquisar este Site