23 de março de 2011

O CONFLITO NA LÍBIA - UMA ANÁLISE GERAL


Por Antônio Jesus Jr - Cientista Político

Os grandes movimentos revolucionários no Oriente sempre foram de ordem religiosa. Entretanto as revoltas que ocorrem agora não são desta natureza. O povo oriental  se mobiliza por mudanças sociais e políticas e já derrubou ditadores, mostrando o poder do povo nas ruas.

Motivados pela onda de protestos que levaram à queda os longevos presidentes da Tunísia e do Egito, os líbios começaram a sair às ruas das principais cidades do país em meados de fevereiro para contestar o líder Muammar Kadafi, no comando do país desde a revolução de 1969. Mais de um mês depois, no entanto, os protestos evoluíram para uma guerra civil que cindiu a Líbia em batalhas pelo controle de cidades estratégicas.

Entretanto o julgamento internacional quanto a Kadafi tem focado somente suas ações presentes, de repressão aos rebeldes, sem dar maior importância a seu passado.

Kadafi chegou ao poder aos 27 anos e desde sempre foi um ditador autoritário e maquiavélico. Acostumado ao poder absoluto não tem medo de desafiar as forças internacionais. É um extremista nato! Tudo que estamos vendo pelos noticiários de tv não são novidade para aqueles que vivem na Líbia. Kadafi  e seu filho tem relações comerciais de alto porte na Europa e na América, mas este detalhe foi ignorado pela Inglaterra e pelos EUA.

As forças internacionais que em princípio deveriam trabalhar pela proteção dos civis, notoriamente demonstram ao mundo que há outros interesses neste jogo. As ações multilaterais dos países que formam a chamada força aliada bombardeiam sem dó nem piedade a Líbia e já há registros de alguns erros cometidos. As conseqüências mais drásticas ficam nas mãos dos civis.

A ONU deveria primar pela preservação dos civis, pela vida e insistir no caminho da diplomacia. Novamente concordo com a posição do Brasil em abster-se na votação do Conselho de Segurança da ONU. Apoiar uma área de exclusão aérea é uma coisa, mas bombardear e atacar de forma voraz são coisas bem diferentes e o Brasil não precisa de inimigo como Kadafi. Certamente haveria outros caminhos para  resolver definitivamente o conflito. Agora é tarde demais.

7 comentários:

Viver ' disse...

Velho muito bom, parabéns '

Anônimo disse...

Parabéns !!!

xplanetdance disse...

parabéns, muito bom mesmo!!!!!!

Sheila disse...

parabéns fico muito bom mesmo

Mara disse...

Gente, bom senso na parte intelectual e na parte humana (espiritual) Completo!!! Parabéns Antonio!!! Obrigada por sua conduta!

linda disse...

faça um resumão :D

Anônimo disse...

Oi

Cotações do Dolar e do Euro

Pesquisar este Site