15 de fevereiro de 2011

SARNEY AFIRMA QUE VOTAÇÃO DO MÍNIMO NO SENADO SERÁ TRANQUILA


No Senado, a votação do projeto de lei do governo que fixa o salário mínimo em R$ 545 será tranquila, segundo o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP). O assunto não preocupa os líderes da base aliada. O parlamentar afirmou nesta terça-feira (15) que os senadores deverão votar favoravelmente ao projeto do Executivo.

Além de fixar o salário mínimo em R$ 545, a proposta prorroga a regra para a correção anual acordada ainda no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com as centrais sindicais. Até mesmo parlamentares ligados às centrais sindicais e que têm como bandeira a melhoria do salário mínimo, como Paulo Paim (PT-RS), consideram que “não há risco para o governo de perder essa votação no Senado”.

José Sarney destacou que as duas maiores bancadas, PMDB e PT, já acordaram em manter o projeto do governo. “Evidentemente, numa Casa que tem pessoas de tantas responsabilidades e de tão longa vida pública, nós teremos algumas divergências naturais”, acrescentou ele.

O presidente do Senado não acredita que os coordenadores políticos da equipe da presidente Dilma Rousseff irão usar a votação do projeto para mapear quem realmente é da base aliada. Ele ressaltou que pelos próprios mapeamentos que são feitos nessas votações, os líderes sabem com quem se pode ou não contar. “Esse mapeamento para discriminar os condenados à perdição e outros à salvação eu não vi (entre os coordenadores políticos do governo)”.

Agência Brasil

Nenhum comentário:

Cotações do Dolar e do Euro

Pesquisar este Site