2 de janeiro de 2011

LULA, O FENOMENO. DILMA, A PROMESSA

Substituição no time do Brasil: Sai Lula, entra Dilma!

Lula é sem dúvida o político mais popular da terra, palavras do próprio presidente dos Estados Unidos, o norte-americano Barack Obama. Segundo Pesquisa Sensus, divulgada em 29/12, pela Confederação Nacional de Transporte (CNT), a aprovação pessoal do presidente Lula fechou em 87%, sendo o chefe de estado mais bem avaliado do mundo.

Conforme a pesquisa, nem nomes como Michele Bachelet, do Chile, Nelson Mandela, da África do Sul, Franklin Roosevelt, dos Estados Unidos, Tabaré Vázquez, do Uruguai conseguiram bater a marca do presidente brasileiro.

Obviamente que alguns presidentes como Getúlio Vargas e Jucelino Kubichek não fizeram pesquisa de popularidade enquanto estavam no governo e, apesar de terem sido populares, não temos parâmetro para mencioná-los.

Mas a que se deve todo esse poder? Lula foi certamente uma figura espetaculosa enquanto presidente. Em suas aparições e pronunciamentos utilizava recursos dramáticos e metafóricos e não separava o “Presidente da República” do “militante partidário”.

O presidente brasileiro fez o que tinha que fazer, encantou o cantor Bono Vox, da banda U2, trouxe as Olimpíadas e Copa do Mundo para o Brasil, tornou-se um símbolo mundial do combate à fome e posicionou-se internacionalmente como uma liderança popular. Ele fez chover!

Lula governou o país durante oito anos, neste período realizou cerca de 87 viagens internacionais, fez articulações e construções importantes, como também causou incomodo aos EUA, quando contrariou seus interesses em apoio ao Irã.

Além disso, teve que enfrentar problemas crônicos que ficaram mal resolvidos, como as invasões radicais do MST, o caso dramático da reserva indígena em Roraima, devastação ambiental e as reformas tributária, previdenciária e política que não aconteceram.

O que muitos não conseguem entender é como foi que Lula transferiu tanta popularidade a então ilustre desconhecida Chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff.

Parece difícil explicar o sucesso da matemática de Dilma, mas não é. Sua candidatura foi um misto de uma série de elementos favoráveis como: alta aceitação do governo petista + campanha bem equipada e profissional + bons marketeiros + bons programas de televisão, oposição fraca e desarticulada e claro, o poderoso apoio de Lula. Obviamente existiram outros elementos contundentes, como por exemplo, a construção da mudança de imagem da candidata Dilma.

Até quem não acompanhou o processo eleitoral do princípio ao fim sabe que a imagem de Dilma foi construída. Se qualquer pessoa pegar uma imagem de Dilma enquanto Ministra do PAC, um ano antes da eleição, e pegar uma imagem atual verá as mudanças significativas, desde sua imagem pessoal, como seu cabelo, rosto e forma de vestir, até seu discurso e postura. Mudanças fundamentais para seu sucesso eleitoral.

Conforme a pesquisa Sensus, mencionada acima, a expectativa dos entrevistados entre ótimo e bom do governo Dilma é de 69% (muita coisa para uma desconhecida). Segundo Lula: "Dilma será uma belíssima surpresa para o Brasil”.

Então eu pergunto: Será que Dilma fará em 4 anos de mandato o que Lula não conseguiu fazer em 8, tornando realidade as Reformas Tributária e Previdenciária? Apesar de toda a expectativa positiva que os brasileiros colocaram nela a missão não será nada fácil.

Nenhum comentário:

Cotações do Dolar e do Euro

Pesquisar este Site